Sobre

As iniciativas visando a interdisciplinaridade nas Ciências Humanas e mesmo maior aproximação com outras áreas do conhecimento têm sido objeto de longos debates no campo nas últimas décadas. No entanto, as inconsistências entre perspectiva reflexiva e a prática acadêmica seguem produzindo verdadeiras ilhas de conhecimento e pouca capacidade de articulação efetiva entre as diferentes áreas de conhecimento.

Ocorre que 3 importantes eventos sócio-técnicos da contemporaneidade têm impactado diretamente a pesquisa nas Ciências Humanas e mesmo a necessidade de produção de novas formações de pesquisadores e profissionais (World Economic Forum, 2016) e têm, ao mesmo tempo, demonstrado inúmeras fragilidades e deficiências metodológicas que precisam ser enfrentadas pelas comunidades acadêmicas mais do que urgentemente. São eles, em primeiro lugar, a maior disponibilidade de dados oriundos de diversos processos de digitalização de dados, formação de bases de dados e a produção de várias fontes de informação já nascidas digitais e de potencial interesse para a pesquisa, como as redes digitais de socialização, popularmente denominadas de mídias sociais, têm apresentado levando a constatação de que o fenômeno do big data já atinge e desafia a pesquisa em Ciências Humanas; em segundo lugar, a evolução da capacidade de processamento computacional tem disponibilizado máquinas cada vez mais poderosas e de baixo custo, facilitando com que pesquisadores com pequenos orçamentos possam ter a disposição poderosas ferramentas de trabalho, mas que exigem conhecimento técnico específico para maximização de seu potencial analítico; em terceiro lugar, o amadurecimento de diversos algoritmos e softwares de apoio a análise quantitativa e qualitativa têm oferecido novas ferramentas e métodos de análise que produzem resultados efetivos de alta qualidade e que, ao mesmo tempo, desafiam a formação e a prática dos pesquisadores das Ciências Humanas.

Adotando diferentes nomes e abordagens, têm-se percebido o surgimento de diversas inciativas que procuram articular essas questões com programas de pesquisa e projetos experimentais com nomes como Ciência de Dados, Humanidades Digitais, Ciências Sociais Computacionais, Ciência das Redes, Sociologia Digital, Métodos Digitais, entre outros, têm aparecido em iniciativas, sobretudo internacionais, tais como o Yale Institute for Network Science (http://yins.yale.edu/), Center for Computational Social Science (https://iriss.stanford.edu/css) da Universidade de Stanford, Center for Data Science and Public Policy (http://dsapp.uchicago.edu/) da Universidade de Chicago e Center for Artificial Intelligence and Society (http://cais.usc.edu/HomePage.htm) da Universidade do Sul da Califórnia; além do surgimento de novas revistas científicas, tais como a Big Data & Society (http://journals.sagepub.com/home/bds) e o Digital Humanities Quarterly (http://www.digitalhumanities.org/dhq/). Até mesmo políticas públicas (National Science and Technology Council, 2016) têm se dado conta do enorme desafio pela frente e têm considerado que a inclusão das Ciências Humanas na pesquisa relacionada a inteligência artificial, big data e aprendizagem de máquina é uma dimensão não apenas desejável mas necessária para o desenvolvimento de novos tipos de pesquisa que permitam aprofundar o conhecimento do que hoje se sabe a respeito das dinâmicas de interação social da sociedade contemporânea. O número, a abrangência e o foco interdisciplinar dessas iniciativas apontam não apenas para a emergência de novos desafios para a pesquisa, mas como o surgimento de novos programas de pesquisa que necessitam ser conhecidos, discutidos e apropriados pela comunidade científica brasileira.

Iniciando uma primeira aproximação, ofertamos no segundo semestre de 2016 uma disciplina denominada “Métodos Digitais” pelos programas de pós-graduação em Comunicação e Sociologia, favorecendo o vínculo entre esses dois programas da Universidade Federal de Goiás, ampliando o intercâmbio de conhecimento entre seus discentes e docentes interessados no tema. Em conjunto, iniciamos um grupo de estudos de encontros semanais como forma de ampliar o trabalho realizado pela disciplina e aproximar os estudantes e pesquisadores de problemas objetivos e de fundo metodológico para a pesquisa em Ciências Humanas.

É, portanto, com o objetivo de aprofundar essa aproximação, entendendo sua urgência, e iniciar uma articulação mais ampla em torno da produção de um programa de pesquisa integrado para as Ciências Humanas, envolvendo e sensibilizando a comunidade acadêmica do estado de Goiás, que propomos a realização deste evento, ora denominado Ciência de Dados e Sociedade.

Referências

National Science and Technology Council. Preparing for the future of artificial intelligence. Executive office of the president. Governo dos Estados Unidos da América. October, 2016. Disponível em: https://obamawhitehouse.archives.gov/sites/default/files/whitehouse_files/microsites/ostp/NSTC/preparing_for_the_future_of_ai.pdf . Acesso em 01/03/2017.

World Economic Forum. The future of Jobs: employment, skills and workforce strategy for the fourth industrial revolution. January, 2016. Disponível em: http://www3.weforum.org/docs/WEF_Future_of_Jobs.pdf . Acesso em 01/03/2017.

Anúncios